quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Biografia de Clementina de Jesus é lançada em Sorocaba

      Jornal Cruzeiro do Sul

 Biografia de Clementina de Jesus é lançada em Sorocaba 
- GOOGLE COMMONS

Dentro da programação de Carnaval da Prefeitura de Sorocaba, será lançada hoje, às 20h, uma biografia da cantora Clementina de Jesus, de autoria dos jornalistas Felipe Castro, Janaína Marquesini, Raquel Munhoz e Luana Costa, formados pela Universidade Metodista de São Paulo. O evento, que ocorre no clube 28 de Setembro (rua Machado de Assis, 112) com entrada gratuita, contará com show de Márcia Mah apresentando o repertório de Clementina.
 
A biografia Quelé, a voz da cor percorre desde a infância pobre da artista em Valença, no interior do Rio de Janeiro, até o momento em que desponta para a carreira artística, já passados mais de 60 anos de vida. "Ela era neta de escravos, negra, empregada doméstica e lançada artisticamente aos 63 anos de idade. Mais do que isso, ela contrariava o padrão estético e até artístico que dominava sobre as cantoras brasileiras, a imensa maioria delas com canto suave, soprano, enquanto a Clementina tinha o canto contralto, voz rouca, forte, algo muito diferente, muito ancestral", conta Janaína.
 
Com as pesquisas, os jornalistas descobriram que Clementina de Jesus cantava coisas que levava na memória, cantos que ela ouvia quando era garota. "Sabia de cor inúmeras cantigas de trabalho, curimas e lundus, cantos ancestrais que levava consigo", comenta Janaína. Os jornalistas também levantaram que, depois de famosa, Quelé cantou e gravou com alguns dos maiores artistas brasileiros: Cartola, Pixinguinha, Paulinho da Viola, Milton Nascimento, João Bosco, Clara Nunes e Martinho da Vila, entre tantos outros. "Isso tudo evidencia que a história de Clementina é riquíssima, ela enquanto mulher, negra, sambista, representa um Brasil profundo, um Brasil do povo que não é comumente representado nos veículos de comunicação."
 
A descoberta
 
"O momento de Clementina foi aquele, surpreendendo todo mundo, já uma pessoa com mais de 60 anos de idade, fazendo sucesso. Não conheço ninguém que tenha feito isso, mas o que gostaria mesmo é que Clementina tivesse sido descoberta há mais tempo". As palavras são do poeta Hermínio Bello de Carvalho, que lançou a cantora Clementina de Jesus, no espetáculo Rosa de ouro, em 1965. O produtor conta que, naquela época, encontrou Clementina cantando em uma taberna, em um momento de descontração. Até então, ela trabalhava como empregada doméstica de uma família no Rio de Janeiro.
 
Guardiã e herdeira da cultura musical afro-brasileira, dona de uma voz potente, Clementina gravou 12 discos de sucesso nos tempos da bossa nova e o do iê-iê-iê. Esteve em programas de TV, rádios, fez show pelo País e fora dele. Na França, cantou no Festival de Cannes e, no Senegal, teve de voltar ao palco quatro vezes, muito aplaudida. O jornalista Sérgio Cabral, que testemunhou a cena, no Festival Internacional de Arte Negra, relembra que as pessoas queriam tocá-la.
 
Filha da primeira geração de descendentes de africanos libertados da escravidão, Clementina desde pequena ouvia a mãe cantar saberes ancestrais da cultura banto enquanto lavava roupas. O pai, um grande violeiro e capoeirista, completava a formação musical da filha.
 
Clementina, ou Quelé, apelido que ganhou na infância, cantou desde pequena, na igreja, em festas religiosas, onde chegou a treinar pastoras, na casa das tias do samba, já no Rio, e nos corsos que deram origem às escolas de samba. Foi portelense, antes de entrar na Mangueira para nunca mais sair, por causa do amor ao marido que lhe acompanhou por 30 anos.
 
Este ano, 2017, a morte da cantora completa três décadas e em fevereiro, se viva, ela teria completado 116 anos.
 
Todas essas histórias em mais detalhes sobre os bastidores do mundo do samba entre 1960 e 1987 são apresentadas no livro Quelé, a voz da cor - biografia de Clementina de Jesus. A pesquisa sobre a artista começou com um trabalho de conclusão de curso na faculdade e depois de muitas idas e vindas ao Rio -- um esforço de pesquisa que levou seis anos-- terminou em uma publicação de 363 páginas, incluindo vasta bibliografia e índice onomástico, pela editora Civilização Brasileira.
 
"A turma que fez este trabalho não escreveu apenas uma biografia", diz, em um trecho da orelha do livro, o escritor e historiador Luiz Antonio Simas. "O que estas páginas apresentam é um relato fundamental para se contar a história da nossa música e dos saberes africanos redimensionados no Brasil", completa um dos principais estudiosos da cultura do samba.
 
O acervo do jornalista e agora Secretário da Cultura de Sorocaba, Werinton Kermes (que inclusive tem um documentário sobre Clementina), foi uma das referências para o livro. "O lançamento do documentário do Werinton, marca, em nossa opinião, um processo de resgate da cultura popular por meio da memória de Clementina de Jesus em Sorocaba. Por conta disso, não poderíamos deixar de fazer um lançamento na cidade", reforça Janaína.
 
Clementina de Jesus terminou a carreira aos 86 anos, depois das gravações de Cantos escravos, em 1982, junto com outros músicos. Apesar da fama, morreu pobre como tantos artistas negros importantes para à música brasileira, como Pinxiguinha e Heitor dos Prazeres. (Com informações da Agência de Notícias RMS e da Agência Brasil)

http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/767045/biografia-de-clementina-de-jesus-e-lancada-em-sorocaba

Oficina de Máscaras na Biblioteca Infantil anima Carnaval das crianças



A Biblioteca Infantil esteve agitada na tarde desta terça-feira (21). Muitas crianças participaram das atividades da Oficina de Dobraduras de máscaras de Carnaval com temática de animais que ocorreu naquele espaço. Fazendo máscaras de coelhinhos, quase dez crianças estavam se divertindo e interagindo umas com as outras e curtindo o Carnaval de uma forma alegre e inocente. Gilberto Antunes, da Secretaria de Cultura e José Rubens Incao Filho, historiador e responsável pela Biblioteca Infantil, acompanharam atentamente a atividade.

Secom Sorocaba

Márcia Mah canta Clementina de Jesus

O lançamento do livro “Quelé, a cor da voz” que contará com show de Márcia Mah acontece na quarta-feira, dia 22, na Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro. A entrada é gratuita e o 28 de Setembro fica na rua Machado de Assis, 112, Centro.

Biografia de Clementina de Jesus é lançada em Sorocaba
Obra foi baseada em trabalho do jornalista sorocabano Werinton Kermes, que fez documentário sobre a artista em 2011
Não por acaso Sorocaba recebe nesta quarta-feira (22), o lançamento do livo Quelé, a Voz da Cor, de autoria dos jornalistas Felipe Castro, Janaína Marquesini, Raquel Munhoz e Luana Costa. Ainda no início do processo de pesquisa sobre o tema, foi o acervo do jornalista e agora Secretário da Cultura de Sorocaba, Werinton Kermes, que alicerçou o rumo do trabalho do quarteto carioca. Como conta Janaína Marquesini, o acervo de Kermes – que lançou em 2011 o documentário Rainha Quelé - foi um dos primeiros materiais sobre Clementina de Jesus que eles tiveram acesso e serviu de base para a obra. “O lançamento do documentário do Werinton, marca, em nossa opinião, um processo de resgate de cultura popular por meio da memória de Clementina de Jesus em Sorocaba. Por conta disso, não poderíamos deixar de fazer um lançamento na cidade”, reforça Janaína.
O lançamento acontece nesta quarta, às 20h, no clube 28 de Setembro, e a entrada é gratuita. O evento, que terá também Márcia Mah apresentando o repertório de Clementina, faz parte da programação de Carnaval do município.
Kermes, também pesquisador e apaixonado pela história de Clementina, enfatiza a importância do trabalho dos jornalistas e a qualidade da obra, cujo resultado avançou para descobertas importantes da vida da sambista de voz rouca e forte. “É sempre importante desvendar histórias de artistas como Quelé. Mais do que isso, trazer à luz a biografia dessa negra, pobre, empregada doméstica, cuja bagagem remete à nossa ancestralidade”, defende Kermes.

Biografia
A biografia escrita – uma das mais completas sobre a sambista – percorre desde a infância pobre em Valença, no interior do Rio de Janeiro, até o momento em que desponta para a carreira artística, já passados mais de 60 anos de vida.
Como conta Janaína, ainda na época da faculdade os amigos deram início à pesquisa e, ao se deparar com tanta história ainda a ser esmiuçada e contada, tomaram fôlego para levantar esse material mais completo. “Ela era neta de escravos, negra, empregada doméstica e lançada artisticamente aos 63 anos de idade. Mais do que isso, ela contrariava o padrão estético e até artístico que dominava sobre as cantoras brasileiras, a imensa maioria delas com canto suave, soprano, enquanto a Clementina tinha o canto contralto, voz rouca, forte, algo muito diferente, muito ancestral. Isso tudo, por si só, já renderia uma grande história. Mas a gente foi além e descobriu muitas outras coisas interessantes a respeito”.
Com as pesquisas descobriram que Clementina de Jesus cantava coisas que levava na memória, cantos que ela ouvia quando era garota “sabia de cor inúmeras cantigas de trabalho, curimas e lundus, cantos ancestrais que levava consigo”. Também levantaram que, depois de famosa, Quelé cantou e gravou com alguns dos maiores artistas brasileiros: Cartola, Pixinguinha, Paulinho da Viola, Milton Nascimento, João Bosco, Clara Nunes e Martinho da Vila, entre tantos outros. “Isso tudo evidencia que a história de Clementina é riquíssima, ela enquanto mulher, negra, sambista. Representa um Brasil profundo, um Brasil do povo que não é comumente representado nos veículos de comunicação”.

Mais pesquisas
Mesmo com descobertas importantes, o quarteto reforça que as pesquisas não findam com o lançamento do livro, e ainda há fatos que querem esclarecer e aperfeiçoar, como a localização da família para a qual Quelé trabalhou durante mais de duas décadas no Grajaú, zona norte do Rio, além de esclarecer uma informação que chegou após a publicação, de que: Clementina se envolveu no fim da vida com uma escola de samba de Rio Claro, a Voz do Morro. “Um detalhe insólito que com certeza vamos buscar aprofundar para incluir em edições futuras da biografia. Isso e também as novas descobertas. Estamos atentos”, afirma Janaína.

Homenagem musical
Além do trabalho dos jornalistas sobre a figura de Quelé, o público também poderá conferir o resultado da pesquisa da cantora sorocabana Marcia Mah - que há anos se debruça sobre os cantos de lutas da América Latina - e irá visitar o repertório de Clementina. “O repertório dela fala de liberdade, trabalho, natureza, sua voz carrega uma ancestralidade que nos identifica, nesse sentido é uma fonte inesgotável de conhecimento da cultura popular e da beleza poética”, defende a artista que garante um show inspirador.

Serviço
O lançamento do livro “Quelé, a cor da voz” que contará com show de Márcia Mah acontece na quarta-feira, dia 22, na Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro. A entrada é gratuita e o 28 de Setembro fica na rua Machado de Assis, 112, Centro.




segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Carnaval para as crianças tem histórias e dobraduras

A programação de Carnaval para esta terça-feira (21) prossegue com atividades especiais para as crianças. Serão duas oficinas de dobraduras de máscaras para brincar a folia, dando ênfase aos animais do livro Carnaval na Floresta, da autora Rose Sordi.

A primeira oficina acontece das 9h às 10h30, e a segunda das 14h às 16h. As atividades são abertas para crianças de 7 a 12 anos que, a partir de atividades lúdicas como a contação de histórias e brincadeiras, aprenderão a fazer diversas dobraduras.

As oficinas serão ministradas pela arte educadora Paula Cristina Minatogawa e são gratuitas. Basta chegar um pouco antes do horário, pois são apenas vinte vagas.

Secom Sorocaba

Biblioteca Infantil realiza passeio histórico pelo centro de Sorocaba

As ruas de Sorocaba são fonte de muita história e riqueza cultural, social e econômica. Desde a fundação da cidade em 1654 foram muitos os episódios que influenciaram os destinos do Estado e do Brasil que passaram pela nossa cidade. Para resgatar parte dessa história, a Secretaria de Cultura e Turismo de Sorocaba, por meio da Biblioteca Infantil, está retomando os passeios culturais. Neste mês o passeio será na quarta-feira (22), das 19h às 21h, e percorrerá o centro comercial da cidade, partindo da Biblioteca Infantil na rua da Penha, descendo pela mesma via até chegar às ruas Barão do Rio Branco e Monsenhor João Soares, encerrando na Praça Dr. Ferreira Braga.

Promovido em diferentes pontos de Sorocaba e buscando destacar a história, costumes, arquitetura e curiosidades sobre o local visitado, os passeios têm atraído cada vez mais público, desde pessoas que nasceram no município como aqueles que se mudaram há pouco e desejam conhecer mais sobre a terra que escolheram para residir.

História e vivência

Desde a Fundação de Sorocaba, o Centro comercial fixou-se na atual Rua Barão do Rio Branco, então denominada Rua das Casinhas, com açougues e armazéns. Com o tempo, foi estendido às Ruas Dr. Braguinha, Monsenhor João Soares e Álvaro Soares.

O Passeio também abordará, além da criação do Boulevrd Braguinha, que em 2016 comemorou 40 anos de criação, o trabalho do engenheiro Eraldo Couto Campelo, autor do Código de Obras de 1950, onde propunha uma melhor organização do espaço urbano, reservando áreas para jardins, praças e prédios públicos.

Como se inscrever

Inscrições podem ser feitas diretamente na Biblioteca Infantil “Renato Sêneca de Sá Fleury” que está instalada na Rua da Penha, 673, Centro de Sorocaba, telefone 015 3231-5723. São apenas 30 vagas e a atividade é gratuita.

Secom Sorocaba

Biografia de Clementina de Jesus será lançada no Carnaval de Sorocaba



Quelé, a Voz da Cor, livro de autoria dos jornalistas Felipe Castro, Janaina Marquesini, Raquel Munhoz e Luana Costa, da Editora Civilização Brasileira, resgata a trajetória da menina simples de Valença e que ficou conhecida no mundo da música apenas depois dos sessenta anos. Sua docilidade, que contrastava com a imensa força da sua voz, foram os elementos principais para a composição do livro, que Janaina Marquesini e os demais autores, irão discutir em Sorocaba em evento de resgate da memória de Clementina na Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro. O lançamento do livro, que contará com a apresentação da cantora Márcia Mah, será na quarta-feira (22) a partir das 20h, com entrada franca.

O lançamento de Quelé, a Voz da Cor, faz parte da programação oficial do Carnaval de Sorocaba e tem, segundo o secretário de Cultura de Sorocaba, Werinton Kermes, importância ímpar, pois traz para o centro do debate a vida e a obra de uma das nossas maiores sambistas. “O lançamento ocorre em um ambiente histórico e de muito simbolismo que é o 28 de setembro”, destaca o secretário.

A autora Janaína Marquesini aponta a influência do secretário de Cultura de Sorocaba, Werinton Kermes, em sua obra. “Foi a partir do documentário que o Werinton produziu e dirigiu, de forma independente, em 2011, que nós nos interessamos em ampliar e prosseguir no resgate de informações sobre a vida e a obra de Clementina. Nesse sentido, Werinton foi pioneiro e influenciou muito o nosso trabalho”, destaca.

A cantora Márcia Mah se apresentará cantando as obras consagradas pela sambista carioca, intercalando a apresentação e o debate sobre a obra de Clementina.

O 28 de Setembro fica na rua Machado de Assis, 112, Centro de Sorocaba.



Sobre Clementina de Jesus:



A leveza no olhar e o sorriso expansivo, de ponta a outra do rosto, sempre foram marcas de Clementina de Jesus, assim como a voz forte, marcante dessa negra do início do século e cantora de pulmão cheio. Nascida em 1901 em Valença, pequena cidade do estado do Rio de Janeiro, Clementina se mudaria, logo aos oito anos, para a capital junto com a família. De Valença ao bairro de Osvaldo Cruz, berço da escola de samba Portela, e onde a menina começou a cantar, o universo do samba tomou conta rapidamente de Clementina.

Tendo se casado em 1940, e até então desconhecida no mundo do samba, Clementina mudou com o marido para a Mangueira, outro clássico reduto da música carioca, tendo passado vinte anos da sua vida trabalhando como doméstica. Em 1963 foi descoberta pelo maestro Hermínio Bello de Carvalho, que a alçou à condição de estrela do espetáculo ‘Rosas de Ouro’, junto com os então músicos iniciantes Paulinho da Viola e Nelson Sargento.

Dois anos depois a sambista seria o destaque em apresentações no I Festival Mundial de Artes Negras em Senegal e no Festival de Cannes, na França.

Sua importância para o samba brasileiro é tão grande que, em vida, recebeu dos colegas de ofício o título de rainha do partido alto, ou rainha ginga e causou uma intensa fascinação em variados artistas da MPB. Gente tão diferente como Alceu Valença, Milton Nascimento e João Bosco, que registraram sua voz em seus álbuns. Sem ser uma figura de grande vendagem, sua presença de palco era impressionante. Sobre ela, Paulinho da Viola chegou a afirmar “parece que flutuava, a voz te trazendo pra realidade, mas o corpo flainando”.

A cantora faleceria aos 86 anos em Inhaúma, Rio de Janeiro, em 19 de julho de 1987, vítima de um derrame, deixando poucos registros, o que torna o livro Quelé, a voz da cor, ainda mais importante.

Secom Sorocaba

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Cultura divulga agenda atualizada do Carnaval 2017


  
A Secretaria de Cultura e Turismo de Sorocaba divulgou a agenda atualizada com as atividades que farão parte do Carnaval deste ano. São aproximadamente trinta ações para todos os tipos de público e que acontecerão de 17 a 28 de fevereiro.

O Grito de Carnaval será nesta sexta-feira (17), às 15h, no Lar São Vicente de Paulo, com a apresentação do Trio Los Angeles, famoso por suas participações em programas populares na década de 80. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público em geral.

A folia deste ano tem como título o tema “Carnaval da Família” e busca resgatar elementos clássicos das festas das últimas décadas, bem como valorizar a participação das famílias nas ações.


Carnaval 2017 
Carnaval da Família
17 de fevereiro – sexta-feira
·        Grito de Carnaval no Lar São Vicente de Paulo (Carnaval sem Barreiras), a partir das 15h com o Trio Los Angeles. O Lar São Vicente de Paulo está localizado na Avenida Betânia, 1255 - Jardim Betânia.
·        Samba de Mercado traz uma Roda de Samba de Raiz no Mercado Municipal, a partir das 19h00 com Projeto Semente do Samba e a convidada da noite será a cantora paulistana Eliana de Lima, que foi puxadora de diversas escolas de samba nas grandes escolas da capital. O Mercado Municipal fica na Rua Padre Luiz, 82 - Centro.
18 de fevereiro – sábado
·        Samba de Mercado traz uma Roda de Samba de Raiz no Mercado Distrital, a partir das 20h00 com Projeto Panela do Samba e o convidado da noite será o músico Biro do Cavaco que possui um histórico de muitos sucessos na sua carreira, como por exemplo a música Jessica.  O Mercado Distrital fica na Rua Benedito Galdino de Barros, Jardim Brasilândia.
21 de fevereiro- terça feira
·        Oficina de Dobradura de Máscaras, na Biblioteca Infantil Municipal, Rua da Penha, 673 - Centro, das 14h ás 16h.
22 de fevereiro – quarta-feira
·        Lançamento do Livro "Quelé - A Voz da Cor": Biografia de Clementina de Jesus. As 20h. Local: Clube 28 de Setembro – Rua Machado de Assis, 112.
23 de fevereiro – quinta-feira
·        Carnaval na Feira da Vila Leão com a presença das Baterias das Escolas de Samba. AFeira Livre da Vila Leão será o espaço do Carnaval, das 10h às 11h. A feira livre fica na Rua Francisco Ferreira Leão e Rua da Penha.
• Contação de Histórias (Carnaval sem Barreiras) para os familiares e pacientes do Hospital do GPACI, das 14h às 17h R. Cel. José Pedro de Oliveira, 678 - Jardim Faculdade.
24 de fevereiro – sexta-feira
·        Samba na Praça - o esquenta será na Praça Cel. Fernando Prestes e depois os sambistas irão para a Rua Barão do Rio Branco e Boulevard Braguinha, das 10h às 12h, contagiando todas as pessoas com a alegria do Carnaval.
·        Carnaval na Feira da Árvore Grande com a presença das Baterias das Escolas de Samba. A Feira Livre da Árvore Grande será o espaço do Carnaval, das 10h às 11h. A feira livre fica na Rua Prof Fonseca Junior.
·        Carnaval no Lar São Vicente de Paulo (Carnaval sem Barreiras) com a seguinte programação: das 9h00 às 11h00 será realizada uma Oficina de Colares e Máscaras com os moradores do Lar e das 14h00 as 16h00 o Baile de Carnaval com animação e muitas marchinhas carnavalescas.
·        Baile da Melhor Idade - uma banda especializada em Marchinhas Carnavalescas vai animar a todos a partir das 16 horas, no Parque dos Espanhóis, R. Campos Sales, s/n, Vila Assis.
·        Exposição Fotográfica: com imagens coletadas nos antigos carnavais de rua e salões de Sorocaba pelo fotógrafo Rogich Vieira, na Biblioteca Municipal, 22/02 a 03/03, segunda a sexta das 8h00 às 16h50.

25 de fevereiro – sábado
·        Grupo Musical Entre Amigos - apresentarão um repertório centrado no Chorinho naBiblioteca Municipal Infantil, das 10h às 12h, Rua da Penha, 673 - Centro.
·        Carnaval na Feira da Vila Santana - com a presença das Baterias das Escolas de Samba. A Feira Livre da Vila Santana será o espaço do Carnaval, das 10h às 11h. A feira livre fica na Rua Souza Moraes.
·        Rock Folia - é a opção para quem não aprecia muito as atividades carnavalescas. OTeatro de Arena, localizado ao lado do Teatro Municipal “Teotônio Vilela”, vai ser palco de 6 bandas de rock bem conhecidas pelo público da cidade. O evento, que acontecerá das 15h às 21h, tem a intenção de relembrar o famoso festival "De Olho no Som". Ao lado do Teatro Municipal, Avenida Eng. Carlos Reinaldo Mendes, s/nº.
·        Trio Elétrico no Éden vai animar a população do bairro com música e DJ, das 14h às 17h. Praça Portal do Éden - Rua Bonifácio de Oliveira Cassú.
·        Carnaval na Vila Dignidade (Carnaval sem Barreiras) será realizado uma Oficina de Colares e Máscaras e um Baile de Carnaval com animação e muitas marchinhas carnavalescas, das 14h às 17h.
·        Ensaio Geral: passagem de som pelas escolas de samba no Parque das Águas, a partir das 15h.
26 de fevereiro – domingo
·        Bloco dos Pets vai acontecer na Pista de Caminhada Campolimàs 9h. Haverá um desfile e premiação com medalha para os pets mais criativos e apresentação do músico sorocabano Eraldo Basso.
·        Carnaval na Feira da Vila Angélica - com a presença das Baterias das Escolas de Samba. A feira da Vila Angélica será o espaço do Carnaval, das 10h às 11h. A feira livre fica na Avenida Angélica, Vila Angélica.
·        Trio Elétrico em Brigadeiro Tobias vai animar a população do bairro com música e DJ, das 14h às 17h, Praça Alberto Sarti
·        Desfile de Corso - o Carrasqueiro Clube irá abrir o desfile das Escolas de Samba exibindo uma coleção de automóveis antigos de diversas marcas e modelos, às 16h45, no Parque das Águas, com a Corte do Carnaval de 2017.
·        Desfile das Escolas de Samba - em atendimento a solicitação da LISOBES - Liga Sorocabana das Escolas de Samba, a Prefeitura de Sorocaba irá oferecer a infraestrutura necessária para a realização do desfile de rua, que conta com o apoio da Policia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Civil Municipal. O desfile será realizado pela LISOBES no Parque das Águas, a partir das 17h00, com a participação de dez Escolas.
27 de fevereiro – segunda-feira
·        Trio Elétrico no Parque Vitória Régia vai animar a população do bairro com música e DJ, das 14h às 17h, no Parque Amadeo Franciulli.

28 de fevereiro – terça-feira
·        Retiro Cultural de Carnaval será composto por atividades para quem quer fugir dos eventos carnavalescos. Diversas atividades zen e culturais irão entreter quem visitar o Parque da Água Vermelha, das 10h às 16h, Rua România, nº 150 - Jardim Europa.
·        Matinê com Oficina de Dobradura de Máscaras, Banda e Marchinha Carnavalesca
no Parque dos Espanhóis, Rua Campos Sales, s/n - Vila Assis, das 15h às 18h.
·        Trio Elétrico no Jardim Santa Bárbara vai animar a população do bairro com música e DJ, das 14h às 17h, na Pista de Caminhada.

Secom Sorocaba

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Cultura lança campanha Adote um Folião






A Secretaria de Cultura e Turismo de Sorocaba lançou a campanha Adote um Folião, em que as pessoas interessadas podem se inscrever para curtir uma tarde do Carnaval em companhia de um dos moradores do Lar São Vicente de Paulo. Segundo o secretário de Cultura, Werinton Kermes, essa é uma forma de aproximar as pessoas dos idosos do Lar São Vicente e criar uma interação maior entre a sociedade e essa importante instituição. “Esperamos que essa relação prossiga depois do Carnaval. Essas pessoas têm histórias de vida maravilhosas e precisam, muitas vezes, apenas de alguém para ouvi-las”, ressalta Kermes.

O grito de Carnaval acontece exatamente no Lar São Vicente de Paulo, na sexta-feira (17), a partir das 15h. Com o mote ‘Não existe inclusão sem participação’ a sociedade está sendo chamada, através de ações em redes sociais, para adotar um folião durante esse dia.

O Lar São Vicente de Paula fica na Avenida Betânia, 1255, Jardim Betânia, e quem quiser participar pode ligar para 015 3313-2025 e falar com Ângela ou Larissa.

Mercado Distrital recebe Panela do Samba e Biro do Cavaco

O destaque do Carnaval sorocabano para o sábado (18) é o grupo Panela do Samba que tem, como convidado especial, o músico Biro do Cavaco. A apresentação que acontece no Mercado Distrital a partir das 20h faz parte do Samba de Mercado, ação que integra a programação que a Secretaria de Cultura e Turismo de Sorocaba fez para agitar a cidade durante o período carnavalesco.
Uma grande roda de samba será comandada pelo tradicional grupo Panela do Samba, famoso por sua contribuição ao samba de raiz e às apresentações que tem realizado desde que foi criado em 2009.
Biro do Cavaco
Sílvio Mariano dos Santos, o Biro do Cavaco, fez parte do grupo Originais do Samba, o mesmo que revelou o músico e comediante Mussum. Grande violonista e extremamente hábil tocando cavaquinho, Biro destacou-se desde cedo em apresentações em rodas de samba e depois com o Originais. Tendo como referência músicos como Hamilton de Holanda e Armandinho, Biro construiu um estilo peculiar para tocar, impondo um encadeamento incomum entre harmonia e melodia em suas composições. Nos últimos anos, além de manter aulas em sua escola na capital paulista, Biro tem se apresentado por todo o Brasil e pela América Latina.
O Mercado Distrital fica na Rua Benedito Galdino de Barros, Jardim Brasilândia. A entrada para o evento é franca.

Secom Sorocaba

Semente do Samba e Eliana de Lima se apresentam no Mercado Municipal

O Carnaval sorocabano recebe nesta sexta-feira (17), a partir das 19h, o projeto “Samba de Mercado”. Uma grande roda de samba será realizada no Mercado Municipal com o grupo Semente do Samba, conhecido por sua contribuição ao samba raiz e pelas apresentações que tem feito ao longo dos seus dez anos de formação.

O Semente tem como convidada especial a cantora paulistana Eliana de Lima, que já foi ‘puxadora’ de diversas escolas de samba em São Paulo, destacando-se na Unidos do Peruche e Leandro de Itaquera. Entre os grandes nomes do samba brasileiro que reconheceram as qualidades de Eliana de Lima está o mestre Jamelão.

O Mercado Municipal fica na rua Padre Luiz, 82 - Centro. A entrada é franca.


Secom Sorocaba

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Prefeitura e Governo do Estado limpam prédio histórico do Fórum Velho





























A fim de melhorar a segurança na região central e a aparência da cidade, a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e da Secretaria de Conservação, Serviços e Obras, em parceria com a Secretaria Estadual de Cultura, realizou na quinta-feira (09) a limpeza total do prédio do antigo Fórum Velho na Praça Frei Braúna. O prédio, famoso por já ter abrigado o Fórum e a Oficina Cultural Grande Otelo, vinha sendo usado como dormitório para pessoas em situação de rua, o que gerava insegurança para os moradores e comerciantes da região.

O objetivo principal da limpeza foi ampliar a segurança no centro da cidade, fechando entradas do prédio que eram usadas por pessoas em situação de rua ou usuários de drogas, além de começar a resgatar o prédio, que tem uma importância histórica e social para Sorocaba. Foram necessários inúmeros caminhões para a retirada de entulhos, móveis deteriorados e sujidades do local.

A Prefeitura promoveu a retirada dos tapumes que cercavam o imóvel, o que possibilitou a abertura de uma área maior para circulação das pessoas na praça. Na sequência as dependências internas foram lavadas e higienizadas e as portas do prédio passaram por ajustes para impedir invasões. Todo o processo foi supervisionado diretamente pelo secretário de Cultura Werinton Kermes que tem uma ligação emocional com o prédio, já que, na condição de artista, teve trabalhos expostos na antiga Oficina Cultural Grande Otelo e como gestor trabalhou na unidade por alguns anos.

Imponente, o imóvel foi construído em 1940, tendo sido tombado em 2012 pelo Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico de Sorocaba (CMDP). Em 2014 o Governo do Estado iniciou uma reforma que teve que ser interrompida em 2015. Existem tratativas entre Governo do Estado e Prefeitura de Sorocaba para retomar as atividades no prédio brevemente.

Secom Sorocaba

Carnaval 2017 em Sorocaba prioriza inclusão e diversidade de ações








Um Carnaval como antigamente, com a valorização das famílias e a inclusão de todos os segmentos da sociedade, respeitando quem gosta da festa tradicional e gerando alternativas para quem prefere outras atividades parar curtir o feriado. É assim que a Secretaria de Cultura e Turismo de Sorocaba planejou as atividades oficiais para o Carnaval deste ano, divulgadas durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (10).

Além de ações em conjunto com outras secretarias, como o Carnaval da Dignidade, na Vila Dignidade, que será realizado em parceria com a Secretaria de Igualdade e Assistência Social, e o Samba de Mercado, com a Secretaria de Abastecimento e Nutrição, a Secretaria de Cultura priorizará a distribuição de ações culturais pelos bairros da cidade.

As festas serão abertas no dia 17 de fevereiro, no Lar São Vicente de Paulo, com a apresentação de atividades musicais e seguirão até o dia 28 com rodas de samba no Mercado Municipal e no Distrital; contação de histórias no Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (Gpaci), dobraduras e atividades musicais próprias para as crianças na Biblioteca Infantil e bandas carnavalescas que se apresentarão nos bairros do Éden, Brigadeiro Tobias, Vitória Régia e Santa Bárbara, além de um grande baile no Parque dos Espanhóis.

“A organização do Carnaval deste ano contou com muita criatividade, já que a Secretaria de Cultura está trabalhado com o orçamento elaborado pela gestão passada. Foram priorizadas ações para as pessoas e famílias, as escolas farão o seu desfile e vamos apoiar, mas essa é uma atividade delas – das escolas - as nossas serão as ações pelos bairros, pelos espaços públicos e locais com grande fluxo de pessoas”, aponta o secretário de Cultura Werinton Kermes. Com poucos recursos, a Secretaria de Cultura buscou parceiros e cobrou contrapartidas já existentes entre os artistas. “São quase trinta ações nesse que tem tudo para ser o mais amplo dos carnavais da história de Sorocaba”, completa Kermes.

Rockfolia: Quem não gosta das marchinhas e músicas tradicionais de Carnaval poderá curtir o Rockfolia no sábado, dia 25 de fevereiro, no Teatro de Arena do Paço Municipal. Será uma oportunidade para bandas de rock da cidade se apresentarem em um dos ambientes de melhor acústica da cidade. O secretário Werinton Kermes lembra que “existiam ótimos festivais e atividades feitas no Teatro de Arena, como o ‘De Olho no Som’, é um espaço ótimo e estava subaproveitado, pretendemos retomar a sua utilização e dar vida aos jardins do Paço”.

Secom Sorocaba

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Sorocaba encabeça discussão sobre cultura regional










O secretário de Cultura e Turismo de Sorocaba, Werinton Kermes, reuniu-se na tarde desta segunda-feira (06) com o secretário de Cultura da cidade de Itu, Geraldo Gonçalves Junior. As duas cidades encabeçam, junto com Votorantim, Salto e Tatuí, uma comissão regional que deve debater as ações culturais no âmbito da região metropolitana de Sorocaba.

A reunião de hoje definiu que nos dias 29 e 30 de março será realizado um grande evento em Sorocaba entre os agentes culturais da região metropolitana. São 27 cidades que devem trabalhar em conjunto. Segundo Kermes, a ideia é que os agentes públicos possam conversar entre si e debater a diversidade artística e cultural dos municípios, bem como buscar soluções coletivas que integrem e desenvolvam a produção e o fazer no campo da cultura nessas cidades.

“O principal objetivo desse grande encontro é mostrar a viabilidade da indústria criativa em nossa região, estabelecer a troca de conhecimento, a vocação cultural de cada uma das cidades e moldar o intercâmbio de ações e experiências entre os municípios”, destacou Kermes. O próximo encontro entre os membros da comissão que está organizando o Simpósio Metropolitano de Cultura acontecerá no dia 05 de março.

Acompanharam o encontro o diretor de Turismo da Secretaria de Cultura de Sorocaba, Luis Bramante e o diretor de Cultura de Itu, Paulo Aranha.

Secom Sorocaba